domingo, 4 de junho de 2017

Cracóvia do Castelo ao kazimierz

E para o quinto dia em Cracóvia, deixámos a visita ao Castelo de Wawel, à Fabrica de Schindler e ao Bairro Judeu.


Acordámos ao som de muitaaaa chuva e pensámos que teríamos a visita mais complicada, mas como estávamos na semana santa tivemos os santos todos connosco e quando saímos do hotel como por milagre a chuva parou e porque a primavera também já estava ali encontrámos o castelo lindo.


Começámos bem cedo porque a visita que tinhamos programada era ainda longa e o dia ameaçava complicar-nos a vida com a chuva.
Fomos directo para o castelo que fica na colina com o mesmo nome na margem do rio Vístula.

Já tinhamos decidido não visitar o castelo por dentro visto que é enorme e tem muitas alas diferentes com bilhetes diferentes, não tinhamos tempo, por isso limitámo-nos a entrar na catedral..











A Catedral de Wawel ou Real Catedral dos santos Estanislau e Venceslau é um edifício imponente, tanto por fora como por dentro, é nesta catedral onde tradicionalmente eram coroados os Reis da Polónia e foi na cripta desta catedral que o papa João Paulo II ofereceu a sua primeira missa depois de ser ordenado padre.






O interior é lindo, mas não permitem fotografias, assim como em todas as igrejas desta cidade.


Olha nós a ver se ficamos na fotografia :p

Do castelo temos uma vista magnifica para a cidade, mas por causa das nuvens e um pouco de nevoeiro que tivemos de manhã estas foram as fotos possíveis.






Saindo do castelo, rumámos ao bairro judeu  Kazimierz, visita obrigatória em Cracóvia.

Este é um bairro boémio, cheio de bares e bons restaurantes, é aqui que a noite acontece em Cracóvia, mas de dia é muito tranquilo.

Caminhar pelas suas ruas, ver os símbolos, visitar alguma das suas sinagogas.






Edifício do museu etnográfico de Cracóvia e o sol já estava a brilhar para nós.








O museu judaico na antiga sinagoga (principal)









A basílica de Corpus Christi

O interior lindo, mas como também aqui é proibido fotografar deixo uma imagem da wikipédia

A praça central








Hamsá (cinco) mão simétrica símbolo do Islão mas também popular entre os judeus (sefarditas) 5 dedos
 - simboliza os 5 pilares do Islão, mão de Fátima (filha preferida de Maomé)
- para os judeus mão de Miriam irmã de Moisés símbolo associado ao Torá composto por 5 livros. 
Consoante a religião ela aparece enriquecida com o olho ou com a estrela de David.
Tem várias conotações, mas a principal é se estiver com os dedos juntos o amuleto traz boa sorte  se estiverem abertos ela protege contra energias negativas... ...

O cemitério Remuh no qual está também uma pequena sinagoga



Os cemitérios judeus têm algumas diferenças dos nossos, para além da simplicidade das campas, não há exibicionismo, são simplesmente pedras de granito, sem dourados nem outros símbolos, apenas tem o nome da pessoa e alguma inscrição mais, mas baixo relevo na mesma pedra.
Ao contrário de nós os judeus não levam flores, mas deixam pequenas pedras e alguns pequenas mensagens em papéis dobrados sobre essas pedrinhas.















e os grafitis pelas ruas.

Nós fizemos este passeio sozinhos e visitámos ao nosso gosto mas existe um free walking tour que dura aproximadamente 2,5h. e passa por todos os pontos de interesse do bairro.

No fim da tarde fomos até a antiga Fábrica de Oskar Schindler de que era antes da guerra uma fábrica de panelas e utensílios de cozinha de esmalte, que foi durante a guerra utilizada para a produção de munições e empregava 1200 judeus que Oscar schindler declarou serem imprescindíveis para o funcionamento da fábrica e desse modo os salvou da morte certa nos campos de concentração.




A Fábrica de Schindler foi uma agradável surpresa, para quem não leu muito sobre a visita, pensava que efectivamente iria visitar as instalações da antiga fábrica, mas o que se visita é um museu sobre a guerra, muito interessante por certo.
Tem uma exposição permanente "Cracóvia sob a ocupação nazi entre 1939 e 1945" e ao longo do museu vamos vendo a história da cidade neste período, até à "liberdade" da época comunista que se lhe seguiu. A exposição mostra reconstruções, imagens e sons que nos transportam para aquele período tão duro que os judeus viveram na ocupação nazi.
Foi uma visita muito interessante.

 Gabinete de Oskar Schindler com uma mostra das panelas que se fabricavam lá antes da guerra inWikipédia.

E para terminar, penso que estes bonecos são bem representativos da história.

A localização da fábrica é perto da praça Bohaterow praça das cadeiras o preço é 21zlotis os adultos e há bilhete família para 2 adultos e duas crianças menores de 16 anos. Abre todos os dias, segunda feira fecha mais cedo. As indicações no museu estão todas em inglês, há visitas guiadas.

4 comentários:

  1. Que fotos lindas,...
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  2. Esta viagem foi muito interessante. Fotografias belíssimas embora algumas provoquem um friozinho no estômago.
    Obrigada.
    Ah! Ficaram na foto e bem ternurentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Dilene :)
      Têm que ir a Cracóvia e fazer estas visitas, muito bonita a cidade e é verdade que muitas coisas que visitámos lembram uma parte negra da história, mas temos que reviver aquilo, para que a memória não deixe acontecer de novo :)
      beijinhos

      Eliminar

Não passe sem deixar um miminho :)