sábado, 28 de novembro de 2015

Queques de cacau e buttermilk

Continuo a chamar queques aos bolinhos pequenos á boa maneira portuguesa, recuso-me a chamar-lhes muffins ou cupcakes, como se vê por aí na net, muitos nem sabem qual a diferença entre uns e outros, mas é chique chamar assim....

 eu como sempre lhes chamei queques desde pequena, mantenho a tradição...
Estes bem escurinhos ficam muito fofos e saborosos e nada secos.


1,5 chávenas de farinha sem fermento
1 1/4 chávenas de açúcar(metade amarelo)
2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal fino
1/2 chávena de cacau magro em pó
1/2 chávena de óleo vegetal
1  chávena de buttermilk
2 ovos
1 chávena de café quente ou água quente.

Preparar o buttermilk.
1 chávena de buttermilk=1 chávena de leite +1 colheres de sopa de vinagre branco
Depois de misturar, deixar em repouso pelo menos 10 min.

Juntar os ingredientes secos numa taça grande e envolver bem, adicionar a esta mistura os ovos, o óleo e o buttermilk e bater muito bem com a batedeira.

Por ultimo juntar o café quente em fio e continuar a bater a massa.

Deitar a massa em forminhas pequenas e levar ao forno pré-aquecido a 180º até estarem cozidos, mais ou menos 20min.
Mais uma sugestão para lanches de pequenos e graúdos.

domingo, 22 de novembro de 2015

Delicia 3 sabores

Não sou muito adepta de pudins de pacote, nem grande consumidora, mas as crianças gostam mais de coisas mais simples, sem grandes natas e coisas mais elaboradas, a minha sogra costuma fazer este tipo de pudins e o meu Mi gosta.

Resolvi por isso fazer, vi esta ideia por aí e achei que fica bonito, com mais graça do que só um simples.

Estes pudins e cremes em pacote tem a vantagem que se fazem num instante, rapidamente temos uma sobremesa sem grande esforço e fica barato, tem os inconvenientes que já sabemos... aditivos... mas de vez em quando não há grande problema.

Feito assim com vários sabores e em camadas para além de fácil fica muito bonito.

1 pudim de morango
1 pudim de chocolate
1 pudim de caramelo

Fazer os pudins segundo as instruções do pacote.
Por um de cada vez na forma e levar ao congelador para solidificar mais rápido e retirar e deitar em cima os outros com a ajuda de uma colher para aparar o pudim e não entrar para dentro do outro.

É um processo um pouco demorado, porque temos que esperar que fique frio e que cada camada solidifique para por a seguinte.

Depois de frio desenformar e fica assim muito bonito e atractivo para as gulosas crianças, que não lhe dão grande descanso :)

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Compota de ameixa e maçã


Quando vejo receitas de doces por aí que pedem igual peso de açúcar e fruta ou até mais, até fico com os olhos em bico...., este levou 1/3 açúcar do peso de fruta e está doce q.b.

Comprei ameixas no supermercado e não se comiam, de estar nas câmaras frigoríficas ou não sei, eram farinhentas tipo as maçãs vermelhas de antigamente.

Resolvi mete-las na panela e como eram poucas, juntei-lhe umas maçãs e pouquinho açúcar para bem da nossa saúde :)

300gr de ameixa vermelha
300 gr de maçã
200 gr de açúcar
1 colher de café de erva doce

Cortei a fruta em pedacinhos e as ameixas com casca e tudo, meti na panela e meti o açúcar em cima, levei ao lume brando para o açúcar começar a derreter e criar molho para não queimar, depois aumentei um pouco.
Juntei erva doce para varias do pau de canela e fiquei fã, fica delicioso o sabor.
Deixar cozinhar até quase secar o molho e fazer "ponto de açúcar", eu vejo sempre da mesma maneira, levanto uma colher com um pouco de molho e deixo cair, se fizer uma bolinha na ponta tipo açúcar em ponto e estiver grosso, para mim está no pronto.


Ficou com uma cor fantástica e sabor delicioso.

sábado, 14 de novembro de 2015

Ensopado de borrego

Há um tempo atrás fomos almoçar a casa de amigos e o almoço era Ensopado de Borrego e os homens cá da casa adoraram, o maior que nem podia ouvir falar do bicho gostou muito e disse eu também já podia fazer cá em casa. 

Depois de uma dissertação á mesa sobre o dito bicho dizem os entendidos que o segredo é o tempero e  outros que é tirar não sei o quê da perna.....

Como o meu vem directamente do talho já prontinho para a panela, comprei uma parte de um bicho bem pequeno, porque dizem ser melhor e pelo sim pelo não retirei tudo que é bocadinhos de coisas brancas, gorduras, peles e afins... porque para mim é aquela gordura que confere o cheiro que muita gente não tolera neste tipo de carne/bicho.

E fiz á minha maneira

Borrego
Alho
Louro
Colorau
Mistura de pimentas e especiarias
Vinho Branco
Cebola
Polpa de tomate caseira
Azeite

Parti a carne em pedaços médios e temperei de véspera.

Fiz uma pasta com bastante alho esmagado, com as folhas de louro também partidinhas pequenas, o colorau, o sal e um pouco de pimenta moída de um moinho com especiarias e besuntei bem a carne com esta pasta e deixei no frigorífico de um dia para o outro numa caixa fechada, de manhã juntei o vinho branco e deixei mais um pouco.

Meti a carne num tacho com azeite e bastante cebola cortada em rodelas grosseiras e deixei estalar um pouco, depois juntei a polpa de tomate e a restante marinada onde esteve a carne e deixei estufar em lume brando durante algum tempo, até a carne ficar quase a desfazer-se, bem tenrinha e com o molho bem apurado.

Acompanha com batata cozida e salada ou legumes cozidos e a carne vai em cima de fatias de pão torrado, para ensopar o molho que fica delicioso :) daí o nome ensopado :) quem é ensopado é o pão :)

domingo, 8 de novembro de 2015

Bolo de prata

Tinha no congelador tantas claras congeladas que nem sei bem de onde vieram tantas, então ultimamente tenho aproveitado para fazer bolos com elas, em vez de pudins e sobremesas, que era onde antes as costumava utilizar mais, provámos, gostámos e a receita deste veio directamente do meu primeiro livrinho de receitas escritas á mão.

A receita já tem mais de 30 anos e nunca o tinha feito.
Tenho neste livro montes de receitas que nunca fiz, porque sempre que encontrava uma receita que me parecia boa ou alguém me dava uma, escrevia lá e por vezes nem testava, foi agora a altura certa :)

6 claras
100 gr de manteiga
1 chávena de açúcar
1 chávena de farinha com fermento
Sumo e Raspa de um limão/laranja grande


Bater a manteiga com o açúcar até se desfazer e ficar com um creme fofinho, em seguida juntar a raspa e o sumo de limão envolver.
Juntar a farinha peneirada com o fermento e envolver delicadamente.

Bater as claras em castelo com a pitada de sal e adicionar cuidadosamente sem bater á restante massa.

Levar ao forno previamente aquecido a 180º, numa forma de buraco untada com a manteiga e polvilhada com farinha, durante mais ou menos 40 min. confirmando sempre com um palito, porque tudo depende do forno.

Deixe arrefecer um pouco antes de desenformar.

Ficou lindo... a fotografia foi a possível, porque quando dei conta já estava partido.... nem arrefeceu.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Bolo de queijo com cobertura de caramelo

Trabalhar num hospital oncológico tem um quê de deprimente, o contacto diário com doenças graves e com a morte faz-nos pensar e viver muito esse assunto, é impossível alguém abstrair-se disso.

Todos os dias vemos os diagnósticos,  as idades e as caras dos doentes, conversamos com eles.... mas também nos faz ver a vida de outra maneira, cada dia é importante e não vale a pena perder tempo com coisas menores... esta é uma teoria que todo mundo tem, ou pensa que tem.... porque na realidade as pessoas pensam efectivamente é que estas coisas só acontecem aos outros....

E porquê esta conversa num blog de coisas boas?.. é que no meio de tanta coisa má há coisas boas também, uma delas é o contacto com pessoas com uma força e energia positiva que são um exemplo a seguir, principalmente pelos fracos que só se lamentam por quase nada....

Foi o caso de uma senhora que conheci por acaso no hospital e que chegámos á conclusão ter ligações á minha família, convidou-me a ir a casa dela lanchar um dia entre internamentos, só porque a acompanhei e visitei enquanto isso foi possível.

Se me custava ir vê-la, sempre me arrependia, porque vinha de ao pé dela sempre bem disposta e chorava a rir com ela, pois conseguia encontrar humor em tudo em volta dela.

Para o lanche fez um bolinho delicioso e a receita veio comigo, não tive tempo de lhe retribuir o lanche porque a doença foi mais forte que ela.

Mas deixo a receita como memória, porque a época me lembrou disto.

9 ovos
400 gr de açúcar
300 gr de farinha
2 queijos frescos (200gr)
Raspa de1 limão ou laranja
1 colher de chá de fermento

Separar as claras das gemas e bater em castelo e reservar.

Bater as gemas com o açúcar até dobrar o volume e juntar os queijos esmagados com um garfo e a raspa de laranja e bater bem.

Por ultimo envolver a farinha misturada com o fermento alternando com as claras.

Levar a cozer em forno pré aquecido a 200º em tabuleiro ou forma de buraco, ela fez em forma de buraco, eu fiz em tabuleiro, coze mais rápido e como era para aniversário queria fazer uma cobertura, para lhe dar um ar mais festivo. A cobertura não fazia parte da receita, fui eu que fui buscar uma que já tenho por aqui no blog e que é deliciosa, verdadeiro caramelo (rebuçado) não caramelo de açúcar.


Creme de caramelo
1 lata de leite condesado cozido
1 lata de leite condensado
1 colher de manteiga
1 pacote de natas
1 colher de maizena

Misturar os ingredientes todos excepto o leite condensado cozido e levar ao lume a engrossar.
Retirar e juntar o leite condensado cozido e levar mais um minuto até ter a consistência desejada, não deixar ficar duro ou fica pegajoso e agarra-se á faca ao cortar o bolo.

domingo, 25 de outubro de 2015

Bolo de cacau com cobertura de pasta de açúcar.

As mensagens aqui no blog andam tão atrasadas e ao sabor do vento que este bolo foi para o aniversário do filho dia 10 de Setembro e só agora o deixo aqui.

A receita fui buscá-la ao blog da minha amiga Argas, uma daquelas amigas bloguistas, que já consta da minha lista pessoal e por ver ela fazer publicidade ao seu bolo de chocolate no facebook me lembrei de ir cuscar.

Como ela diz fica um bolo muito grande, ideal para festas com muita gente e muitas crianças.
 A receita fiz ta qual a que ela tem no blog e  recomendo fica muito bom, fofinho e nada seco.

3 chávenas de farinha sem fermento
2 1/2 chávenas de açúcar(metade amarelo)
4 1/2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1/colher de chá de sal fino
1 chávena de cacau magro em pó
1 ch+avena de oleo vegetal
1 1/2 chávena de buttermilk
3 ovos
1 1/2 chávena de café quente ou água quente.

Untar um tabuleiro grande ou duas formas pequenas e forrar com papel vegetal também untado e polvilhado com farinha.

Preparar o buttermilk.
1 1/2 chávena de buttermilk=1 1/2 chávena de leite +1,5 colheres de sopa de vinagre branco
Depois de misturar, deixar em repouso pelo menos 10 min.

Juntar os ingredientes secos numa taça grande e envolver bem, adicionar a esta mistura os ovos, o óleo e o buttermilk e bater muito bem com a batedeira.

Por ultimo juntar o café quente em fio e continuar a bater a massa.

Levar ao forno aquecido a 180º até estar cozido, deixar arrefecer um pouco antes de desenformar e rechear se quiser.
Para a cobertura usei pasta de açúcar branca e azul, as cores do clube do meu menino, adora pasta de açúcar... eu detesto, mas como o bolo era para ele, comprei... as decorações foi ele mesmo que fez com alguma ajuda, tudo em tamanho mini, ele não consegue ter a noção do espaço mas foi mesmo ao gosto dele.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Bolo de amêndoa e ameixa

Fez 8 anos em Setembro que iniciei este blog, até a mim custa acreditar, ultimamente tenho andado meio ausente, porque não é uma tarefa muito fácil, rouba muito tempo e é preciso alguma disposição mental para escrever e passar as receitas.

Quando faço alguma coisa gosto de fazer bem feita e se no inicio quando criei o blog foi com intenção de ser uma espécie de livro de receitas, agora sinto alguma pressão por parte das pessoas que me visitam, pressão boa claro, as pessoas gostam de me seguir e gostam das coisas que eu trago, por isso não gosto muito de trazer coisas repetidas, só para encher, não gosto de trazer "comidinhas" só porque sim.
Só que não é fácil trazer sempre coisas novas e por vezes até fazemos coisas boas, mas as fotografias não dizem isso e fico sempre na dúvida se devo ou não por...

Gosto de receber e-mails das seguidoras a perguntarem se está tudo bem porque já não escrevo há muito, gosto das amizades que criei através do blog em portugal e no Brasil principalmente, algumas que conheci pessoalmente outras ainda não, mas é como se conhecesse, trocamos fotografias de filhos e netos, mensagens e falamos no mensager como se fossemos amigas de longa data é uma relação engraçada esta das amizades bloguistas :)

Gosto quando as minhas amigas me dizem que as suas mães também me seguem :) as mães... aquelas senhoras que cozinham sempre melhor que nós :)

Enfim é muito gratificante ter um blog :) e desta vez trago uma receitinha de um bolo que foi completamente adaptado de outra receita, dessa receita original, tem apenas umas ténues semelhanças o resto foi tudo inventado e adaptado.

4 ovos
90gr de manteiga amolecida
120ml de buttermilk
160gr de açúcar amarelo
150gr de farinha com fermento
80gr de amendoa moida
1c de café de canela
1 pitada de sal
1 chávena de ameixa cozida.

Preparar o buttermilk logo no inicio, pondo numa taça o leite com o sumo de limão ou vinagre para coalhar e deixar pelo menos 10min.

No robot de cozinha meter a borboleta no copo e bater a manteiga com os ovos e o acúcar durante 5min./40º/vel.4.
Juntar a amendoa, a farinha peneirada, o sal e a canela e envolver uns segundos na vel.4 até ficar homogéneo.
Juntar o buttermilk e misturar novamente na vel.4.

Pelo método tradicional, bater os ingredientes com a batedeira, pela ordem e ingredientes, tal como no robot, apenas bater antes as claras em castelo e envolve-las só no fim.

Onde entram as ameixas pergunta o público, pois já vamos ver. :) A ideia inicial era por em cima da massa antes de ir ao forno, só que a massa do bolo ficou tão liquida que resolvi meter o bolo no forno para cozer um pouco e depois com a porta entreaberta, colocar em cima e assim fiz.
Ameixa cozida porquê? se podiam ser frescas, bem o marido resolveu cozer na altura em que tinhamos muitas caseiras e não conseguiamos comer todas.

Levei ao forno em forma de tarte forrada de papel vegetal untado e polvilhado de farinha, para não virar ao contrário ao desenformar e sem o papel, na forma de fundo móvel teria escorrido tudo para fora.
No forno pré-aquecido a 200º durante 20min e depois coloquei a ameixa e deixei mais 10min.

O bolo ficou "enqueijado" não sei se pela porta aberta antes de acabar de cozer, ou se ficaria mesmo pela massa tão liquida... fica a duvida, o doce não entrou muito na massa por estar já cozida demais.
Mas ficou muito bom, excelente mesmo, a mistura de sabores e aromas é deliciosa.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Queques de nutela, chocolate e cacau

Quem tem filhos pequenos na escola sabe o que é todos os dias preparar os lanchinhos para a manhã e para a tarde.
O mais fácil e pelo que constato dos colegas do meu filho é mandar coisas que eles gostam e que dão pouco trabalho, ter sempre á mão bolos e bolinhos embalados, daqueles cujo nome acaba em ...au ou outros. Quando são maiorzinhos dar-lhe dinheiro é ainda mais fácil, assim eles mesmo compram e fica bem ensiná-los a gerir o seu dinheiro, só que eles vão geri-lo á sua maneira e vão comprar "porcarias" e por vezes nem o gastam em comida....
Eu por principio não mando nada que eu ache que faz mal á saúde, sou contra todo tipo dessas coisas embaladas com montes de aditivos, corantes, conservantes...  e estes para somar ainda  á lista tem gorduras hidrogenadas/trans, um tipo de gordura sintetizada artificialmente, altamente prejudicial á saúde, mas altamente benéfica para as industrias, pois aumenta longamente o prazo de validade, porque são gorduras que não rançam e mantêm os alimentos com bom cheiro e sempre fofinhos....

Cá em casa enquanto o menino foi pequenino levava sempre pão, iogurtes ou leitinhos, agora que já é só pequeno e não tem auxiliares para o obrigar a comer, diz que não tem tempo nos intervalos e por isso o pão vinha sempre de volta. 
Como dizem os entendidos é melhor comerem "porcarias" do que não comerem nada, para terem energia suficiente para aguentar uma manhã inteira de escola, por isso a alternativa, mandar alguma coisa que "demore menos" a comer e assim a solução é fazer em casa bolos e bolinhos, dá mais trabalho.... dá..... mas é muito melhor, pelo menos tem ingredientes por nós seleccionados.

Estes bolinhos, são os melhores que já fiz e comi ultimamente, ficam com uma textura densa e fofinha e um sabor delicioso, mesmo para apreciadores de chocolate.


4 ovos
220gr de açúcar
200gr de farinha
40gr de cacau
1 pitada de essencia de baunilha
80gr de manteiga derretida
1 pitada de sal
240ml de buttermilk(leite+sumo de limão ou vinagre)
2 colheres de sopa de nutela(meti só 1)
3 colheres de sopa de chocolate em pó (substituindo a nutela em falta) 

Para o buttermilk colocar os 240ml de leite numa taça e juntar uma colher de sopa de sumo de limão ou vinagre e deixar em repouso 10min até coalhar.

Ligar o forno a 180º e colocar as forminhas de papel num tabuleiro de ir ao forno e reservar.
No robot de cozinha, bater com a borboleta, os ovos inteiros com o açúcar, sal e baunilha, durante 2 min./40º/vel.4 e de seguida mais 2 min./vel.4 , sem temperatura.
Juntar o buttermilk, a nutela, o cacau e o chocolate em pó, a manteiga derretida, eu usei margarina vegetal, que é mole e não derreti, bater mais 1 min./vel.4 .
retirar a borboleta e adicionar a farinha préviamente peneirada e envolver 15seg/vel.3. Envolver melhor com a espátula se necessário.

Pelo método tradicional é só bater com a batedeira exactamente como é feito no robot, pela ordem e ingredientes.  

Encher forminhas de papel ou se não quiser, forminhas de metal ou silicone, tendo o cuidado de untar e polvilhar no caso das de metal.
Levar ao forno durante 15 a 20 min.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Gelado de doce de leite

Quem nunca comeu gelado de doce de leite numa gelataria? é o meu favorito.
Quando como gelados em gelatarias normalmente nunca tenho muitas dúvidas, ou um fresco de fruta ou se tiver este sabor é sempre o escolhido, gosto muito.

Há pouco tempo vi uma receita por aí que achei interessante pela facilidade e como gosto muito resolvi testar. Claro que não é aquele doce de leite caseiro em que o leite fica um dia a ferver com o açúcar á moda brasileira, mas esta alternativa pareceu-me muito bem.
Fácil rápido e delicioso.


1 lata de leite condensado cozido
2 pacotes de natas
2 claras em castelo

O leite condensado pode ser cozido ou pode-se cozer em casa, na panela de pressão, eu pela facilidade compro já cozido, da marca mais conhecida que é o mais durinho e escuro.

Bater bem as natas em chantilly, e juntar o leite condensado cozido e bater bem até desfazer e homogeneizar bem, em seguida envolver as claras em castelo.
Quem não tiver máquina de fazer gelados que é o meu caso, levar ao congelador e depois de uma hora bater bem, para desfazer possíveis cristais e voltar a meter no congelador e se necessário voltar a bater até estar no ponto desejado.

Pode-se juntar bolachas cookies ou pepitas de chocolate que fica bem, mas para mim doce de leite é mesmo só o creme.

Muito bom :-)

domingo, 27 de setembro de 2015

México o paraíso dos Maias

Morre lentamente quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve musica,
Quem não acha graça a si mesmo,
Pablo Neruda

Viajar é umas das melhores coisa do mundo, é das poucas coisas em que nós gastamos dinheiro e ainda assim nos deixa mais ricos.

Este ano o destino escolhido para viagem foi o México,era um destino há muito tempo pensado.
Por causa do meu filho, optámos por fazer uma viagem diferente, em vez de conhecer o México mais profundo e outras regiões, ficámos só pela região do Yucatán - riviera maya, conhecendo menos da cultura mexicana, mas aproveitando mais outras coisas.

As praias maravilhosas do caribe, nós já tínhamos estado por lá outras vezes, mas o pequeno não e estava com vontade de ver a reacção dele á água quentinha, os hotéis com montes de piscinas que ele adora e outras actividades sempre á disposição.

O hotel escolhido foi um da cadeia Baía Príncipe, uma cadeia com muito boas referencias nos sites da especialidade e quando se vai para ficar muito tempo no hotel, convém que seja bom e este não desiludiu.
A reserva foi feita pela minha agência do costume, não me atreveria a marcar por minha conta uma viagem destas.

Os quartos excelentes, a comida variada e de excelente qualidade, restaurantes temáticos muito bons e o staff excelente, pessoas simples e de uma simpatia comovente, o "..con mucho gusto..." depois de nós agradecermos é único.

Jardins impecávelmente tratados

Montes de áreas de repouso pena não haver tempo para isso :)



Uma das duzias de piscinas presentes no complexo
Já sou um pré adolescente, mas adoro uma brincadeirinha :)

O religioso bem ao lado do profano no centro comercial existente dentro do complexo


De dia ou de noite há sempre onde comprar uma quinquilhariazinha :)

A sobremesa preferida do meu gulosinho que todos os dias escolhia um cestinho diferente e num pratinho dos scouts (clube de crianças existente no complexo mas scouts =escuteiros - ele escuteiro:)
Ah um pormenor a restante louça do complexo é da Vista Alegre :)


Meios de transporte entre o lobby dos hoteis-praia-centro comercial-.... sempre a girar


Tirar fotografia? aqui?! ou ali? :)


A praia  deste hotel não se pode dizer que é fantástica, mas a água transparente e quentinha como só nas caraíbas e sítios tropicais podemos encontrar compensa tudo, por muito quente que se imagine esta água nunca conseguimos imaginar bem, só mergulhando lá :)
Areia branquinha e tão fininha que parece farinha :)

Snorkel lá vamos nós

Ou será melhor ficar já aqui?


Ou aqui?



Ou aqui?



Tanta escolha mas o melhor é mergulhar :)



Quem não gosta de areia também pode ficar na relva, porque a água espreita já ali


Passeios não podiam faltar

Uma igreja algures no meio do estado do Yukatán, onde se situam as ruínas que visitámos


Folklore Maia algures no yukatán, para alegrar o almoço dos turistas em transito nas excursões



As ruinas de Ek Balam não são as mais conhecidas, porque há pouco tempo foram postas a visitas ao publico, mas são únicas pelas esculturas que tem em excelente estado de conservação.

A porta de entrada no templo


Quem se habilita a subir?....


A vista lá de cima é vertiginosa :)


E descer.... o fim do mundo :)




Os cenotes, rios subterrâneos com uma cor de água quase impossível de imaginar aquela profundidade e o fresquinho da água delicioso, para quem vem de passeios sob um sol abrasador de 40º e uma humidade de 95º




A cereja no topo do bolo a grande pirâmide de Chichen Itza para quem gosta de história ou para quem não aprecia muito, é um sitio mágico, onde nos sentimos em paz ainda que as multidões sejam enormes, ver aquelas construções gigantescas e imaginar o quão sábios foram os povos que as construíram vale muito a pena.


E estes guardiões dos templos, aparecem em todo lado e não é só nos templos, também guardam as cadeiras nas piscinas para quem chega tarde há sempre uma cadeira livre :)


E a simpatia de que falei um sorriso sempre nos lábios um povo lindo estes Maias que de pequenino só têm o tamanho, a altura média é a do meu filho mas o coração é grande.

A grande amiga do meu Mi que no fim até lhe deu um presente para que ele não se esquecesse dela :)


Fotografias foram quase 2000, mas escolher estas foi difícil e demorado, espero que tenha conseguido mostrar um pouco desse país maravilhoso, onde o único senão é a distancia :)

Para reservar penso que não conseguiremos encontrar preços melhores do que os famosos pacotes de agência, mas quem quiser fazer por conta própria poderá reservar este hotel no Booking