domingo, 30 de setembro de 2012

Bolo mármore com pepitas de chocolate

E para terminar o mês de Setembro e mês de aniversários cá em casa sai mais um bolinho.
Este fiz para levar para a escola no aniversário do meu filhinho, já o tinha visto há algum tempo aqui e achei que deveria ser muito bom, principalmente para uma turminha de gulosos.

A receita fiz tal e qual excepto a manteiga que cortei um bocadinho e o sumo de laranja, não aprecio a combinação de laranja com chocolate e como era para miúdos e pela experiência que tenho, quanto mais simples melhor.

5 ovos
240gr de manteiga(cortei as 40gr)
280gr de açúcar amarelo
280gr de farinha
2 colheres de sopa de cacau em pó.
1 colher de chá de fermento em pó
Sumo de uma laranja(substitui por leite 100ml)
Pepitas de chocolate

Bater muito bem a manteiga com o açúcar até este estar bem desfeito, em seguida juntar os ovos um a um batendo entre cada um.
Juntar  a farinha peneirada com o fermento e envolver até obter uma mistura homogénea e por ultimo juntar o leite.

Dividir a massa, retirando mais ou menos 1/3 onde se junta o cacau.

Deitar a massa branca numa forma e por cima as pepitas de chocolate. Por ultimo juntar a massa de chocolate e misturar com um garfo de forma muito ligeira, só para fazer riscos.

O meu cozeu em forno a 200º durante mais ou menos 30min.

Depois de  desenformar como era para levar para a escola, cobri com um creme de chocolate feito com um pacote de natas em lume brando com meia tablete de chocolate negro, até ficar homogéneo.

A decoração é recorrente, mas foi ao gosto do aniversariante que adora smarties e pérolas de prata e não gosta muito de variar, tem tendência a pedir o mesmo dos anos anteriores, tal como a pista de carros que ia saindo por 3 vezes...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ovos em tomatada e outras tomatices


Este ano tive uma remessa de tomate cá em casa como nunca na vida, parecia o fim do mundo em tomates :-))
Fomos a casa de um amigo que tem uma quinta e nos convidou a ir lá apanhar o que quiséssemos, enquanto as mulheres apanharam os tomates para baldes, os homens trataram de os transferir para uma caixa enorme na mala do carro, ou seja eu só quando cheguei a casa é que vi a barbaridade que tinhamos apanhado e que os homens carregaram sem ver que eram em demasia.

Depois disto foram dias e dias a comer tomate de todas as maneiras, em salada, em refogados e esta tomatada que eu não conhecia e que foi sugestão de uma amiga que já costuma fazer, como eu gosto muito de legumes estufados achei a ideia boa e de facto é uma combinação deliciosa, os tomates com o ovo achei o máximo e nada ácido ao contrário do que seria de supor, com tanto tomate...



Ovos
Tomate
Cebola
alho
azeite
folha de louro

Na Mycook meti primeiro a cebola em quartos, o alho e o azeite, para refogar.
Programei 5min a 120º vel.1 

Depois de a cebola estar já bem transparente e um pouco frita juntei o tomate sem peles.
Programei mais 5 min a 120º vel. 5 

Transferi tudo para um tacho largo e deixei a cozinhar destapado até evaporar o molho quase todo.

Juntar os ovos e mexer bem e está pronto, eu achei que ficariam os ovos muito desfeitos e mexi só dois e juntei mais 4 inteiros para escalfar, depois de comer achei que ficava muito bom os ovos mexidos, melhor ainda que os escalfados.

Ficou delicioso e para os adultos foi mesmo só assim, para o mais pequeno, fiz uma massinha porque ele não é muito apreciador de tomatadas e ceboladas.

Para além do tomate que se tem comido ao natural, havia que tratar do assunto kg e kg de tomate madurissimo, assim depois de escolher os mais duros para comer em cru em salada e cozinhar, foi uma saga de polpa de tomate.
Polpa em cru para congelar em copos de plástico, caixas e se lá que mais, polpa de tomate refogada já com cebola e alho para acondicionar em frascos de vidro e fechado de modo a conservar sem uso do congelador, doce para comer durante o ano....

E para esta saga uma ajuda preciosa foi a maravilhosa Mycook, uma ajudante de mão cheia, entre triturar e refogar, consegui fazer sozinha mais polpa crua e refogada do que a que consigo comer num ano concerteza :-))
Para a polpa de tomate refogada fiz
Para cada copo cheio de polpa refogada (2litros) 
1 cebola grande 
4 dentes de alho 
50gr de azeite.
Acabou sempre no tacho ao lume a evaporar um bocado o liquido, depois de refogar no copo, tal como para a tomatada, enquanto nova dose ia para o copo.

Para o doce fiz para 
1,5 kg de tomate (muito bem escorrido de sumo e sementes) 
1kg de açúcar 
1 pau de canela
A casca e uma rodela de um limão 
Tudo ao lume a ganhar ponto forte

Para a polpa em cru, foi só triturar o tomate com pele e tudo, excepto os cús e veios mais imperfeitos e negros e toca a congelar.

sábado, 22 de setembro de 2012

Mousse de Lima/limão e mais um aniversário deste meu vicio o 5º

Já tinha ouvido falar desta mousse de lima/limão, mas nunca me tinha entusiasmado muito fazê-la, mas desde que vi a minha cunhada fazer e provei, achei simplesmente deliciosa, para o trabalho que dá, um verdadeiro manjar dos deuses, bem fresquinha é uma delicia.

Assim e para comemorar os 5 anos deste meu vicio resolvi apresentar uma coisa bem fácil e boa, tal como comecei há 5 anos atrás com um arroz doce do mais simples que se pode imaginar.

Até me parece impossível como tenho mantido este blog já há 5 anos, sem nenhuma pausa nem interrupção, umas vezes com mais posts, outra com menos mas lá vou conseguindo, sem grande esforço nem preocupação, porque a essência deste blog foi e sempre será um arquivo das minhas receitas, que já passava no computador em ficheiros, há muitos anos, mas que assim é muito mais fácil de fazer e gerir, para além da facilidade em encontrar uma receita sempre que preciso dela, á distancia de um ou dois cliks, o mais importante nos dias de hoje - o tempo- que não podemos desperdiçar em passos inuteis.

A minha única preocupação com o blog é unicamente estética, porque com o passar do tempo e com as visitas e comentários que tem, sinto uma responsabilidade acrescida, porque sei que muita gente vem ver, consultar e até tirar ideias e receitas, por isso tento sempre melhorar essa parte, nas fotografias e na descrição das receitas, para que sejam mais facilmente entendidas por que precisar.
Tudo da forma mais simples e sempre dentro dos meus conhecimentos, mas de resto os comentários são o que menos me importa e nem os procuro, gosto de os receber se vêm por bem, os que não me deixam não me fazem falta.

Ao contrário do que vejo por aí em alguns blogs e-mails com provocações nunca recebi, maus comentários também não, nunca tive que apagar nem rejeitar nenhum, para além daqueles spams publicitários e chinesisses como já aconteceu em tempos, mas nada que a moderação de comentários não resolva. Fotografias ou receitas copiadas também nunca encontrei, mas também não as procuro, se publico aqui ou acoli, sei que facilmente as copiam, mas não é esse um problema para mim também, apenas significa que faço algo que merece ser copiado, afinal os grandes pintores e até escritores foram copiados e não consta que se tenham preocupado com isso. 

Já fiz algumas amizades virtuais que se tornaram reais e outras que ainda não passaram de virtuais pela distancia que nos separa e para mim isso é uma coisa importante, um prémio.

Por isso estou de bem com o blog e continuo e continuarei até que isso me de prazer e tiver algo para escrever.

Quanto á Mousse de lima/limão, já comi com os dois frutinhos e não sei dizer qual gostei mais, desta vez fiz com limão, porque não tinha limas.

1 lata de leite condensado
2 pacotes de natas
2 limões/ limas pequenos
raspa dos mesmo.

O modo de fazer é simples é só misturar com uma colher as natas com o leite condensado, no fim misturar o sumo das limas e nem precisa bater nem nada.

Fica com uma consistência óptima e um sabor muito fresquinho.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Bolo bola de futebol um desastre culinário

Este bolo fez-me lembrar um pouco do tempo em que eu pintava, uma tela em branco era sempre um grande desafio e depois de começar era sempre um desanimo e uma grande vontade de raspar tudo e voltar ao inicio e algumas vezes o fiz, mas nas que consegui seguir até ao fim, quase sempre gostei do resultado final, até porque uma grande vantagem da pintura a óleo é que podemos sempre raspar e voltar a pintar em cima, ou retocar com mais tinta e mais textura até conseguir algo que nos deixe satisfeita e com vontade de mostrar aos outros.

Com este bolo foi mais ou menos o mesmo, uma grande vontade de experimentar e começar e a meio uma grande vontade de raspar tudo ou deitar tudo fora :-))

Mas como sou persistente aguentei-me até á meia noite e meia e no dia seguinte lá estava eu outra vez de armas e bagagens para retocar a pintura, o que uma mãe não faz pelo seu filhinho...pois ele queria um bolo de menino, nem era a bola, mas um bolo de menino, não tinha muitas alternativas e esta foi a que me agradou mais tentar, porque um campo de futebol ou uma pista de carrinhos não me apetecia.

Uma bola de futebol com as cores do clube dele ainda que não seja o meu.

O interior foi metade deste bolo de água e deste bolinho de iogurte com chocolate o recheio foi o que usei nestes profiteroles os bolos que ele gosta mais, simples e com recheio tipo leite creme que é o doce que ele mais adora.

O problema não foi o interior que até é bem simples, rápido e eficiente, o problema foi a cobertura.

Primeiro a saga de cortar hexágonos perfeitos, repescando na geometria já esquecida, lá consegui resolver a questão, porque imprimir um desenho da net não resultou, os lados não saiam iguais e aquilo não encaixava.

Resolvido este problema matemático havia que trabalhar, esticar e colar a massa e em cima de bolo e cobertura ainda meio quente também não resultou tarefa fácil, a pressa de ver a coisa acabada foi inimiga da perfeição. 
Quando dei conta já pingava e escorregava azul por todo lado. 

Pelo que desisti a meio e meti o bolinho no frigorífico na esperança que aquilo frio solidificasse e me ajudasse a levar a tarefa a bom porto e no dia seguinte de manhã lá estava eu de volta aos hexágonos, chuteiras, cachecóis e uns remates finais para lhe dar um ar mais de obra acabada, tal qual na pintura, agora com o dono do bolo em volta a dar palpites.... uma verdadeira saga, mas que assim a frio se resolvia melhor.


Resumindo e baralhando o bolinho resultou numa bola que mais parecia uma bola velha e com alguma falta de ar mas que até fez boa figura, como dizem os homens cá da casa eu sou artista, e assim a coisa já compensa.

E ainda que hoje quem faz anos sou eu, este bolinho foi para o aniversário do meu menino há uma semana atrás.
Ah! o sabor da pasta não a minha paixão, pelo que não será uma coisa a repetir muitas vezes, mas, mais algumas até me sair um bem ao meu gosto, isso é concerteza :-))

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Panquecas com doce de ameixa vermelha.

Ainda não tinha experimentado fazer panquecas na minha maquineta, por isso decidi ver como resultavam e escolhi uma receita aproveitando ideias de outras receitas que já tenho por aqui, tendo em conta as que mais gostei e adaptei-a á Mycook



150gr de farinha
50gr manteiga
200gr de leite
2 ovos
2 colheres de sopa de açúcar
sal q.b.
1 colher de chá de fermento



Meter todos os ingredientes no copo da máquina e programar 15seg. vel. 6

Depois é só cozinhar colheradas de massa numa forma anti-aderente e untada com gordura.

Acompanhadas deste doce de ameixa bem vermelhinho ou de outro a gosto ficam uma delicia para qualquer ocasião.

sábado, 8 de setembro de 2012

Massa de pizza na Mycook

Cá em casa já há muito tempo que não comprava pizzas feitas em supermercados, porque fazia a massa na máquina do pão, mas ultimamente, desde que tenho a Mycook e experimentei, nunca mais quis outra coisa porque resulta muito bem.
A massa de pizza, tal como outras massas é super rápido, eficiente e fica muito boa, fica um nadinha crocante, um toque diferente das outras que costumava fazer na máquina do pão, mas super aprovada por todos.

200gr de água morna
50gr de azeite
Sal q.b.
10gr de levedura
400gr de farinha

Meter tudo no copo da máquina e programar 2 min. velocidade amassar.

A base de tomate é feita agora também na super-cheff Mycook, com uma cebola, alho e tomate fresco com oregãos ou sem eles é num instante, em 5 minutos na vel.1 e a 120º está um molho delicioso, mais ou menos triturado consoante a ocasião ou a vontade.


Os recheios são a gosto e com o que houver há mão, tendo em conta os gostos cá de casa, principalmente do pequeno que não gosta de sabores muito elaborados, prefere os fiambres, cogumelos e queijo e é assim normalmente.
E pizzas de compra em supermercado ou de encomenda em restaurante acabaram cá em casa, poderá acontecer em alguma ocasião especial, por falta de tempo ou outra coisa fora do normal, porque pizza agora é sempre caseira, com massa de máquina de fazer pão ou então na Mycook, rápido, eficiente e muito melhor, muito mais ao nosso gosto.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Bolo de laranja inteira com sementes de papoila.

E para um bom regresso a casa depois de umas boas férias nada como um bolinho de laranja.

Já há algum tempo que andava para experimentar este bolo de laranja inteira que tenho visto por aí nos blogs e agora foi a altura certa, porque com tanta fruta boa desta época, pêssegos, ameixas e por aí o marido resolveu comprar laranjas, vai daí foram para sumo e para este bolinho.

A receita que mais me agradou das que vi foi esta aqui mas não fiz tal e qual, porque raramente faço por um motivo ou por outro e por falta de tempo não fiz a parte final.
A receita é feita na Bimby, eu fiz tal e qual na Mycook e saiu muito bem.

1 laranja
5 ovos
150gr de açúcar
1 iogurte natural açúcarado (eu meti normal)
100gr de margarina (meti só 50)
150gr de farinha de trigo
50gr de farinha custard (meti fécula de batata)
1 colher de sobremesa de fermento.
2 colheres de sopa de sementes de papoila (invenção minha)
Para polvilhar e regar o bolo no fim:
Açúcar mascavado
Canela
Sumo de laranja.

Meter a laranja só partida em quatro no copo da máquina e marcar 15 seg. vel.5-7-10

Juntar o açúcar e marcar 30 seg. vel.5-7-10

Adicionar os ovos e marcar 5 min. 37º vel. 4  na Mycook a temperatura mais parecida é 40º e foi o que usei 
Em seguida marcar mais 5 min. vel 4 sem temperatura.

Juntar o iogurte a margarina e marcar 30 seg vel.4

Por ultimo juntar as farinhas, o fermento e as sementes de papoila e marcar 30 seg. vel. 3

Eu levei a cozer em forma de bolo inglês untada com margarina e polvilhada de farinha durante 30 min.

A faltar 10 min. para o fim a Luísa recomenda polvilhar de açúcar mascavado, canela e regar com sumo de laranja quente e deixar acabar de cozer eu esta parte não fiz por falta de tempo e por falta do dito açúcar.
Polvilhei no fim só com açúcar amarelo e canela.

Como saltei a ultima parte o bolo ficou pouco doce e por isso para os mais gulosos, por sugestão dela para outros bolos adicionei um docinho, neste caso de ameixa e ficou muito bom :-)