terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Pecado de Nozes

Este bolo foi o rei na mesa deste natal, descobri-o no Livro Culinárium 2 da vaqueiro que a minha mãe tem.

Um verdadeiro pecado, o nome não engana, uma bomba calórica mas delicioso, quando olhei para ele no livro gostei logo, é um bocadinho trabalhoso, na medida que tem muitos passos, mas no fundo é um bolo fácil, mas para ocasiões especiais também convém fazer algo diferente e mais elaborado do que o trivial do dia a dia.


12 ovos
400 gr de açúcar
300 gr de nozes
100 gr de pão ralado
1,5 dl de água
2,5 dl de leite de coco
1 colher de sopa de maizena
sumo de limão
Margarina

Para fazer o bolo, primeiro picar as nozes na 123 ou outro robot e deixar algumas metades para decorar e retirar 3 colheres de sopa delas quando ainda mal moidas.
Depois bater 6 ovos inteiros com 200 gr de açúcar até fazer um creme fofo e dobrar o volume, juntar em seguida as nozes picadas e o pão ralado  envolvendo muito bem e com cuidado.

Levar a cozer em forno médio durante 15 minutos, em duas formas iguais ou não, untadas com margarina e polvilhadas de pão ralado, no livro dizia para forrar com papel vegetal, mas eu não o fiz e desenformaram bem,

Doce de ovos, leve a água com 100 gr de açúcar ao lume a ferver durante 15 minutos. Retire e junte ás 6 gemas restantes em fio, mexendo sempre, para não talhar as gemas e levar de novo ao lume brando a engrossar. Retire do lume e junte mais ou menos 50 ml de leite de coco.

No restante leite de coco dissolver a colher de sopa de maizena e 50 gr de açúcar e levar ao lume até engrossar, este passo eu fiz tal como está no livro, mas numa proxima vez dispenso a maizena, porque formou um creme que não entra muito bem no bolo, fazer a calda só com o leite e o açúcar parece-me bem melhor.

Para montar o bolo, picar com um palito cada metade e regar com a calda do coco para molhar o bolo, cobrir com o doce de ovos, montar a outra metade em cima e fazer o mesmo, deixar arrefecer tudo e por mim ficava mesmo assim, mas tinha que fazer tudo para ver o resultado final.

Depois de frio cobre-se com um merengue que se faz com as restantes 6 claras, as restantes 50 gr de açúcar e umas gotas de limão.

Decorar com as metades de noz e os pedacinhos mal moidos que se reservaram.
Fica uma delicia, fofinho, nada seco, mesmo sem absorver muito o leite de coco, fica com um toque humido.....

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Boas festas

A cozinha por aqui tem andado um pouco em banho maria, a vontade de cozinhar coisas novas e diferentes não tem sido muita, o aproximar destas datas muito festivas a mim ás vezes traz-me alguma tristeza e melancolia, mas isso não é motivo para não me lembrar da data, por isso....

Desejo a todas as minhas amigas, amigos e visitantes anónimos ou não um

Santo e Feliz Natal,

Espero que o Pai Natal deixe na lareira  aos mais novinhos o que mais desejarem, porque para os mais velhos como eu, esperamos que o Menino Jesus nos deixe no sapatinho as nossas lembrancinhas.
e
que o ano novo seja o melhor possível


sábado, 17 de dezembro de 2011

Pudim de chocolate

Primeiro veio o coelhinho, depois a galinha com os ovos de ouro e depois veio o pai natal e foram no comboio ao circo.... e deu um belo pudim de chocolate.

Tinha por aí no frigorifico uma data de figurinhas de chocolate da páscoa passada e a estas já se começam a juntar as de natal.
São chocolates que oferecem ao pequeno e como ele não liga nada a este tipo de guloseima, a não ser que traga alguma surpresa dentro e esse é o unico ponto de interesse, as figurinhas vão-se acumulando por cá e têm que ser os gulosos dos pais a come-las, só que depois temos que alargar portas não é boa ideia, por isso resolvi dar-lhes um fim bem melhor.

Fiz um pudim de chocolate, uma receitinha bem antiga, do meu primeiro livro de receitas escrito á mão por mim.
4 ovos
1 litro de leite
2 chávenas de açúcar (se usar chocolate negro)
2 colheres de sopa de maisena
2 colheres de sopa de manteiga
150 gr de chocolate
1/2 colher de café de baunilha

Bater as gemas com o açúcar( como usei chocolate de leite, usei só uma mal cheia) e juntar a maisena, dissolvida num pouco de leite frio, bater muito bem e juntar o restante leite e mexer. Levar ao lume esperto, juntar a manteiga e vai-se mexendo.
Logo que comece a querer fervilhar, baixar o lume e mexer sempre muito bem com uma colher, para que não se pegue nem faça grumos.

Deixar engrossar até que a farinha esteja cozinhada.

Retire do lume e junte o chocolate picado em pedacinhos muito pequenos e a baunilha, mexer muito bem até se dissolver a totalidade do chocolate.

Por ultimo envolver as claras batidas em castelo e deitar em forma grande untada com manteiga, ou em tacinhas pequenas, eu fiz das duas maneiras, metade numa forminha e o restante em tacinhas.
Ficou um pudim, meio leite creme, porque não deu para desenformar, não sei se é erro de receita ou defeito de fabrico, mas ficou bom na mesma.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Arroz doce com coco

-Mãe este arroz tem umas coisinhas que picam na boca - é coco......isto na primeira tacinha,

na segunda tacinha 
-mãe na próxima vez não metas coco é que assim sabe mais a coco
-gostas mais sem coco? -sim.
Pronto e está tudo dito....como arroz doce e leite creme são os poucos doces que o meu menino gosta, não vale a pena complicar, porque ele só gosta de coisas simples...

Mas eu como gosto de experimentar coisas novas e vi numa receita, coco no arroz doce, resolvi experimentar para ver como fica, eu gostei do sabor, mas os homens não, um estranhou as coisinhas o outro diz para quê inventar se o normal é tão bom...

A receita fiz com a minha de arroz doce que já tenho aqui no blog desde o inicio, facilima e que resulta bastante bem, não é como o da minha avó, nem da minha tia que já partiram, mas esse não tem imitação possível.


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Um bacalhau mais pró bacalhoa ou será escamudo!!

Ás vezes caimos na tentação de entrar em promoções e prémiozinhos que os senhores das grandes superficies nos impingem e nos metem pelos olhos dentro, como estamos em crise e os cortes no orçamento são cada vez maiores, eu como todo mundo também aproveito, mas bacalhau já decidi que não volto a cair...

As duas ultimas vezes que comprei lá no sitio do costume que é como quem diz o continente e saiu fiasco.

O primeiro foi devolvido e devolveram-me o dinheiro TODO, mesmo depois de demolhado e depois de já ter comido três postas, porque parecia peixe fresco, mole e desfazia-se todo ao cozer, ficava sem qualquer tipo de apresentação.

O ultimo, como já tinha deitado o talão fora quando o demolhei, fiquei com ele e tentei dar-lhe algum uso decente, porque para além de ficar escuro era duro.... dizem que é paloco!! dizem que é bacalhoa!!! ou será que é escamudo!!! pois eu não sei, é o que me dizem as minhas amigas e colegas, eu só sei que pelas indicações da loja, é bacalhau e da noruega, porque no do pacifico eu já não caio, porque já uma vez  comprei sem saber e também não gostei.

Resumindo comprar bacalhau é quase uma ciência, há tantas probabilidades de sair mau, quase como receitas e modos de o preparar, cá em casa e como se trata de um peixe caro, pelo menos em promoção nunca mais compro, porque está mais que sabido que deve ser algum lote com defeito.

Uma das alternativas que encontrei para comer este ultimo duro, foi esta que aqui deixo, nem era para aqui trazer, e por isso as fotografias não foram caprichadas, porque só no fim de estar quase comido e de reunir tanto elogio é que pensei no assunto, porque até o meu menino que nunca repete nada pediu mais e elogiou tanto a parte de cima que pensei melhor e ainda fotografei os restos...


3 postas de bacalhau
Meio molho de grelos de nabo
4 batatas médias
3 ovos
Broa esfarelada com salsa
Azeite, bastante...

Arranjei os grelos em raminhos pequenos e cozi tudo junto, com as batatas só cortadas ao meio.

Antes de acabar de cozer tudo, retirei o bacalhau e desfiei, retirei as peles e espinhas.

Depois de tudo cozido, escorri e cortei as batatas em pedaços mais pequenos.

Coloquei tudo em camadas num pirex, no fundo os grelos, depois as batatas, o bacalhau lascado e os ovos cortados ás rodelas em cima, para terminar polvilhei com a broa ralada com salsa, que tenho no congelador, quase sempre, feita como fiz neste bacalhau, é prático e serve para muitos bacalhau`s.

Por cima reguei com bastante azeite aromatizado com alho e foi ao forno a tostar a broa.
Foi um sucesso, simples e rápido, ainda que não pareça.