segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Frango com cerveja

Esta é daquelas receitas que toda a gente fala, mas que eu também nunca tinha experimentado cá em casa.



Um frango
Uma sopa de cebola
Uma cerveja



Tudo ao lume até a carne estar cozinhada.

Eu quase no fim tive que juntar um bocadinho de água, porque o molho engrossou muito e estava a secar.

Não é daqueles pratos que posso dizer que adoro, mas é rápido e uma maneira diferente de cozinhar o frango.

domingo, 28 de setembro de 2008

Bacalhau á Braz

Finalmente lá me decidi experimentar fazer bacalhau á braz com as famosas bata palha de pacote e o resultado até que nem foi nada mau, mas não é a mesma coisa....
Com
Uma cebola grande
Dois dentes de alho
e azeite q.b. fiz uma cebolada.
Juntei uma embalagem de bacalhau demolhado, daquele que se compra já desfiado.
Juntei meio copo de leite e deixei cozinhar um bocadito.
No fim juntei um pacote de batata palha tamanho médio envolvi tudo muito bem até as batatas estarem bem integradas no resto.
Juntei 4 ovos, e voltei a envolver bem e retirei do lume para não secar muito.
O aspecto foi este e o sabor também não estava mal.


Como não tinha azeitonas usei umas rodelas de cenoura em pickles para acompanhar e a salsinha também foi pouca, porque é da que tenho num vaso na varanda e que está um bocadito raquitica hehe!!!.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Gelado de belinhas

Fiz este gelado para levar para casa de uns primos, porque o primo, desde que o comeu cá em casa há uns anos nunca mais se calou com o gelado.

Belinhas provavelmente já ninguem se lembra do que são, umas bolachinhas redondas pequeninas cobertas de chocolate negro muito durinhas, que sairam de circulação há anos, eu pelo menos nunca mais as vi.

Na falta de belinhas arranjei um substituto, os filipinos de chocolate negro, que não foi o que o marido comprou!!!!!mas também serviram os de chocolate de leite!!!

Ingredientes:
200gr Bolacha de chocolate
1 lata Leite condensado
4dl Natas.

Coloque as bolachas dentro de um saco de plástico e com a ajuda de um rolo esmague-as e reserve.


Bata as natas até ganharem consistência de chantily e junte o leite condensado, envolvendo bem com uma colher de pau.

Junte as bolachas e mexa com movimentos envolventes e deite a mistura numa forma previamente passada por agua fria e leve ao congelador até ao momento de servir.


Deve-se ir mexendo de vez em quando, ao longo da congelação, para evitar que as bolachas se depositem no fundo.

Nota: É um gelado que fica muito doce, aguenta bem mais um pacote de natas.
Se se juntar uns frutitos secos, também fica bom.
Fica supercremosos e sem cristais de gelo

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O caminho do Jacinto

Este foi o caminho que a personagem do livro A cidade e as serras de Eça de Queiroz fez quando veio de paris para morar na sua casa em Tormes.

O caminho começa na estação de comboios de Caldas de Aregos/Tormes e termina na casa da actual Fundação Eça de Queiroz.

É um percurso que está devidamente assinalado e é interessante fazer o caminho com o guia disponibilizado na página da Fundação impresso e ir vendo aparecer as casas que estão descritas e sentir que estamos no caminho certo e a avançar



Vamos subindo e deixando a estação e o rio para trás, passando por caminhos estreitos, mas limpos, uns mais ingremes que outros, uns em terra outros em pedra...




Aqui espreitamos umas uvas, ali uma abóbora chila no meio das silvas, um pipo esquecido ou talvez não...




Por aqui vemos umas casas mais simples, mas por acolá já espreitam umas senhoriais.






De vez em quando ouvimos uma sineta, é a da pequena igreja da aldeia, que junto com um galito ou um cachorro, são os únicos elementos perturbadores do silencio local.



E eis então que depois de quase uma hora e vinte minutos de subida, aparece a casa da Fundação.


A casa merece uma visita, principalmente se tiverem a sorte de ter como guia um entusiasta da obra de Eça como nós tivemos. Dentro desta casa não é permitido salvo em alguns locais tirar fotografias, porque a casa ainda é habitada, pela viúva do neto do escritor, actual presidente também da fundação.
A casa e jardins



As fotos possíveis, do interior, do trono do Jacinto, tal como vem no livro



Da cozinha



Da capela


Estes painéis que encontramos na estação de caldas de Aregos, retratam um bocadinho a história do Jacinto que veio lá de Paris cansado da vida mundana e "doente de fartura" como dizia o Grilo (empregado)


Depois dos contratempos da viagem, de chegar sem malas e fazer a subida até casa numa Égua em companhia do amigo que teve que ir de burrito...


deslumbrado com as paisagens do douro


e com a comidinha simples do nosso cantinho, facilmente trocou a bela cidade luz pelas serras...




Para quem quiser fazer o caminho e visitar a casa, na página da Fundação Eça de Queiroz tem informações mais pormenorizadas.

Na zona para além disso há muito para visitar, a paisagem do douro das mais bonitas do mundo, Amarante e o Museu Amadeu de Sousa Cardoso, o Solar casa de Mateus....

Um fim de semana no Douro, sabe sempre bem e nesta zona a oferta é deliciosa, excelentes hotéis e casas de turismo rural ou solares uma escolha muito difícil, a minha sugestão:

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Salada com polvo e figo

Há já algum tempo vi num blog que não me consigo lembrar uma salada, cujos unicos ingredientes que me ficaram na memoria eram figos e polvo de lata.

Depois de muito procurar sem sucesso, e como tinha muitos figos cá em casa resolvi inventar com o que tinha disponivel e o resultado não foi nada mau.

Tomate

Milho em lata
O polvo de lata
E os famosos figos que eu adoro

Fica bem tanto como entrada, como prato principal, para uma altura de regime hehe

Doce de tomate

Adoro esta época do ano, em que há montes de fruta e não só para fazer doces e compotas, primeiro porque gosto de os comer e depois como não conseguimos os dois comer os kilos de doce que faço, para oferecer.

Este doce de tomate foi feito com uns tomates que me deram e que não são os mais proprios, porque tem muitas sementes e sumo, mas para o caso servem na mesma e o doce ficou uma delicia, talvez não muito bonito por causa das sementes.

1kg de tomate descascado
600 gr de açúcar amarelo
2 paus de canela
casca de um limão

Tudo ao lume a ferver em lume brandinho até ganhar uma certa consistencia e ponto.
E esta quantidade de tomate, só deu o produto final que está á vista.

O pãozinho caseirinho foi feito pela minha sogra, que apesar de ter já 80 anos ainda coze umas fornadas de pão que até assusta vêr amassar aquilo tudo.


Esparregado de feijão verde

Este esparregado fiz para aproveitar feijão verde, que me deram em grande quantidade e como nunca experimentei congelar, costumo gastar assim.

Corto o feijão verde como se fosse para sopa.
Levo ao lume em bastante água temperada com sal, só para dar uma fervura.
Retiro do lume e escorro bem a água.

Entretanto pico bastante alho e levo ao lume numa quantidade generosa de azeite, sem deixar queimar os alhos.
Junto o feijão, vinagre e polvilho com uma colherinha de farinha.

Envolvo tudo e deixo cozinhar mais um bocadito.

Acompanha bem qualquer tipo de refeição, eu comi só com frango assado.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Bolo de fécula de batata

Esta receita saiu no jornal Dica há já uns tempitos, mas experimentei e gostei bastante, parece-me pela receita o bolo conhecido como colchão de noiva

Agora resolvi fazer para levar para o serviço, para comemorar o meu aniversário.

Para o bolo:
4 ovos
80 g de farinha
80 g de fécula de batata
200 g de açúcar
1 colher (chá) de fermento
4 colheres (sopa) de água fria

Para a cobertura e recheio :

½ l de leite
175 g de açúcar
½ colher de (sopa) Manteiga.
4 Gemas
2 Colheres de (sopa) de farinha

Bolo:
Bata as claras em castelo com a água fria.
Depois junte as gemas, o açúcar, a farinha e a fécula de batata, já com o fermento.
Leve ao forno durante cerca de 30 minutos num tabuleiro previamente untado com margarina e polvilhado com farinha.

Creme:
Junte a farinha, o leite, as gemas, o açúcar e a margarina e leve ao lume a engrossar, mexendo sempre.
Quando estiver pronto cubra o bolo e enfeite-o a gosto.
Fica bem polvilhado com coco ou com formiguinhas de chocolate.
 
Fica tão bom que desapareceu todo num abrir e fechar de olhos

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Parabéns para mim

Os parabéns são para mim mesma, por mais um aniversário.

Se já houve tempo em que adorava fazer anos e receber prendas, também já houve anos em que me irritava, por mais um ano passado, e por ficar velha.

Agora se calhar estou mesmo velha, porque fico feliz por fazer mais um ano, com saúde e alegria, porque mediante a alternativa......................... O melhor é mesmo agradecer por mais um ano.

domingo, 14 de setembro de 2008

São Leonardo da Galafura

Nestas ultimas férias, fui como de costume, nas férias de Setembro dar uma voltinha pelo nosso portugal.


E a zona escolhida foi o Douro uma região com paisagens de uma beleza pura, as encostas em socalcos, com o rio ao fundo no seu lento caminhar para a foz, o silencio que nos acompanha á medida que caminhamos e vamos parando neste e naquele recanto ou miradouro, faz desta uma região unica.


O miradouro de São Leonardo da Galafura eternizado nos poemas de Miguel Torga, é como ele dizia A Beleza absoluta.


Já há muito tempo tinhamos vontade de ir lá, mas não se tinha ainda proporcionado, pelo que a expectativa era grande.


Assim depois de voltas e mais voltas lá chegamos ao sitio e a primeira coisa que vimos foram alguns apontamentos, que não deixam esquecer o mestre.




Depois a capelinha de São Leonardo com o santinho guardião do templo e da paisagem que nos esperava.







E lá nos aproximámos das rochas que queriam esconder o tesouro mais bem guardado




E aqui sim, parece que estamos sozinhos no mundo, o unico som que se ouve já não é do silencio, mas do vento, que se ouvirmos com atenção até parece o mar.