segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Doce de castanhas

Fiz este doce de castanhas para os tradicionais jantares de natal, tão comuns nesta época, com os amigos.
A receita foi uma prima que me deu, e como eu adoro castanhas, e os restantes ingredientes achei que a combinação seria excelente, mas revelou-se ser muito pouco apropriado para esta época em que se come demais!!! é uma sobremesa exageradamente calórica e que enche, não apropriada para quando se come demais no resto dos pratos.


Uma embalagem de castanhas congeladas
Leite q.b.
1 colher de sopa de açúcar em pó
1 colher de sopa de margarina
1 pacote de natas
Açúcar a gosto.
Doce de ovos q.b.
Praliné a gosto.

Levar as castanhas a cozer num bocadinho de leite só o suficiente para cobrir as castanhas.
Depois de bem cozidas junta-se uma colher de manteiga e uma colher de açúcar em pó e tritura-se, mais fino ou mais grosso, para quem gosta de encontrar uns pedacinhos.
Reservar.

Bater as natas em chantilly com açúcar a gosto.

Fazer doce de ovos em quantidade suficiente.

Transferir o creme de castanhas para uma taça ou fazer uma pirâmide num tabuleiro, para isto tem que estar bem consistente, eu não fiz esta pirâmide, meti numa taça, porque foi para levar para casa de amigos.

Em cima e de preferência com um bico de pasteleiro decorar com o chantilly e por ultimo deitar o doce de ovos por cima do chantilly.

Por fim para terminar polvilhar com praliné moído.

Fica uma verdadeira bomba calórica, muito forte para servir como sobremesa em refeições em que já se come muito, mas o sabor excelente!!!

domingo, 28 de dezembro de 2008

A serra vestida de branco

Que linda estava a serra cheinha de neve e com um céu azul e um sol de fazer inveja a muitos sitios mesmo no verão
Neve
........E mais neve


A mini estância de sky lá do sitio, unica no país por certo








O gelo que se forma nas zonas mais sombrias, onde escorre água




E uma lagoinha quase toda gelada, mais um bocadinho e dava para uma bela patinagem



Mais um natal que passou, este ano teve a particularidade de ter um tempinho fabuloso e uma temperatura excelente lá pela beira, á excepção de ontem que caiu um nevão como já não via há muito tempo lá na cidade, pena que deixei a máquina fotográfica em casa e quando pensei ir buscá-la já estava uma tremenda confusão no transito que desisti.


É que neste país e naquela região em particular, onde os empresários da hotelaria rezam a todos os santos para que caia neve, quando ela cai as estradas são logo cortadas e sem alternativas!!!!Como aconteceu ontem na covilhã, a neve que tinha no centro da cidade três ou quatro cm de altura foi logo motivo para cortarem o transito para a serra e mesmo quem mora acima do centro também já não passa, se quiser que suba a pé mesmo que seja carregado com compras!!!!e como se não bastasse até o parque subterrâneo do centro da cidade foi fechado, não vá a neve tapar a entrada!!!!!



Enfim um país de faz de conta nisto como em tudo!!!!!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Boas Festas


Porque vou de férias passar o Natal com a familia á neve
e por conseguinte vou hibernar de computador,
Desejo desde já a todos os meus amigos e visitantes
um Feliz Natal, com muita paz e alegria

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Charlote de frango

Esta charlote é uma receita da minha amiga bruxa e já há algum tempo que não faço, mas lembrei-me dela porque vi num blog uma parecida.

A base é um frango estufado com bastantes legumes a gosto, eu desta vez meti ervilhas cenoura e milho, depois é só montar a charlote, passo então a receitinha.
1 frango pequeno
uma cebola grande
dois dentes de alho
1/2k de ervilhas congeladas
1 chavena de milho, era o que tinha.
duas cenouras grandes
dois tomates medios madurinhos
1 copo de vinho branco
sal e pimenta moida na hora a gosto
4 ovos
uma chávena de leite
2 colheres de sopa de farinha
Pão tipo bimbo q.b.
Fiambre q.b.

Primeiro faz-se o refogado da praxe, com a cebola, alho picados e azeite, depois meto o frango partido sem as peles e deixo dourar um bocadinho, junto um copo de vinho branco e agito, junto a cenoura partida aos cubos, o tomate sal e pimenta e deixo cozinhar um bocadito.

Depois junto os legumes congelados, só quando o frango já está quase, para não virarem papa e deixo apurar bem até quase secar o molho.

Entretanto pode-se ir preparando uma forma sem buraco, unta-se com manteiga e dispõem-se as fatias do fiambre de maneira a cobrir a forma toda, depois coloca-se o pão de forma de maneira a cobrir também todo o fundo e os lados e fica á espera.




Retira-se o frango dos legumes e retiram-se todos os ossinhos e desfia-se bem e volta-se a juntar aos legumes e envolve-se tudo.



Mete-se dentro da forma já preparada e deita-se por cima uma mistura dos ovos(3 gemas e 4 claras) batidos com a farinha e o leite.

A outra gema bate-se com um bocadinho de leite e usa-se para molhar as fatias de pão que se vão colocar por cima do recheio, para fechar.

Vai ao forno o tempo suficiente para cozer os ovos e dourar o pão por cima.

Desenforma-se e está pronto a comer.

E diz o meu afilhadito isto leva queijo? não leva, mas para a próxima talvez lho ponha por cima que não deve ficar nada mal, a tostar no pão :-)

domingo, 14 de dezembro de 2008

Tigelada

Este fim de semana tive uma amiga lá da minha Covilhã a almoçar , mas que também já lá não mora há muitos anos como eu e resolvi fazer uma Tigelada lá da zona para matar saudades.

E digo saudades, porque cá em casa já há sensivelmente 18 anos que não faço, porque a tigelada entrou com o pé esquerdo na minha casa.

Como é uma sobremesa típica da minha zona e da qual gosto muito, logo que me casei resolvi comprar um caçoilo de barro para a fazer, mas comprei um pequeno e achei que tinha que lá caber a receita toda, mas a coisa correu mal, porque quando começa a ferver aquilo borbulha um bocado e deitou para fora, mas como a tigelada não se podia estragar, deixei a coisa cozer até ao fim, pensando, aquilo torra mas depois lava-se!!!!

Qual não foi o meu espanto que o torrado não saía nem de raspadeira!!! comprei forza para fornos e deitei tanto que o esmalte ficou todo baço e ás pintinhas, nem é preciso dizer que o forno era novinho!!!!!

Fiquei com tamanha neura que nunca mais fiz!!!hoje resolvi fazer e procurei outra receita na net para não andar a fazer contas da minha receita antiga, vou colocar as duas, ficam muito diferentes, mas gosto mais da minha.

A que fiz hoje retirei do roteiro gastronómico:

1l de leite
7 ovos
2 colheres de sopa de farinha(mal cheias)
500 gr de açúcar
1 colher de sopa de mel (não deitei por não fazer parte da minha memória mel na tigelada)
raspa de limão

Batem-se os ovos com o açúcar e junta-se a farinha e a raspa de limão e por ultimo junta-se o leite.

O caçoilo de barro já deve estar dentro do forno enquanto ele aquece e depois sem se retirar o cacoilo do forno e com a ajuda de uma concha, deita-se la a mistura e eu aqui polvilhei com a canela.

Deixa-se cozer até ficar com a consistência de pudim.



A minha receita :
12 ovos
500gr de açúcar
500ml de leite
1 limão
e canela muito importante

Faz-se igual á anterior, mas acrescenta-se também o sumo do limão e polvilha-se com bastante canela depois de estar dentro do caçoilo e vai ao forno.

Gosto muito mais desta minha, tem uma consistência muito diferente, basta notar a diferença de proporção entre os ovos e o leite.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Alheira da minha perdição!!!

Depois de uns almoços mais dietéticos, vieram umas alheiras directamente de vila flôr, para arruinar a dieta e este enchido é sem duvida o meu preferido, embora goste de tudo que é ensalsichado :-)

Podia dizer que como gosto mais delas é com batata cozida e grelos, mas gosto mesmo sem nada ou só com pão, mas como não tinha grelos em casa e não consegui resistir a esperar para o dia seguinte para as provar, fiz como se faz por aqui na zona de coimbra.


Só com batatas fritas e ovo, batata frita é coisa que só entra cá em casa duas vezes por ano, ou menos, mas estas foram mesmo para matar saudades.

A alheira dizem que se for de boa qualidade nunca se desmancha, eu costumo picá-las com um palito e meto a grelhar numa frigideira anti-aderente, que deve já estar quente quando se põe lá as alheiras e depois deixo em lume brando.


Os ovos estrelados foram feitos na gordura que as alheiras largaram!!!!!!!!!

para o pecado ser completo:-)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Soja á bolonhesa

A soja já é habitué cá em casa, porque o maridão adora, quer dizer eu penso que ele gosta porque faz bem, tem esse espirito de sacrificio, que eu não tenho muito, mas enfim lá nos vamos organizando para agradar aos dois.

Normalmente costumava comprar soja em nacos, mas agora decidi comprar um saco de granulado, porque me disseram ser melhor!!!que dá para montes de coisas, bolonhesa, empadão, lasanha etc,etc...enfim lá experimentei, e como quando quero uma receitinha nunca encontro na hora a desejada, fiz á minha maneira.

Em primeiro e como mandam as regras, meti a soja de molho, uma manhã inteirinha, apesar de no pacote recomendar 15 min. e na hora de cozinhar deitei num escorredor de rede, para sair a água toda.

Depois fiz como se de carne se tratasse, o refogado da praxe, com cebola, alho, tomate e azeite e meti a soja lá para dentro, juntei um bocadinho de água e vinho e começou a saga!!!

Aquilo com tomate natural bem madurinho mantinha a cor pálida!! juntei-lhe polpa de tomate e o sabor nada de especial!!!juntei-lhe um bocadinho de ketchup e mostarda e pouco melhorou!!! fui á gaveta dos temperos e pensei que aquilo só melhorava com algo forte e vai daí juntei-lhe uma colherinha de café de caril e uma pitada de cominhos!!!

Neste entra e sai de tempero passou-se uma hora e aquilo ao lume, tal qual vaca velha!!!



Bom não posso dizer que ficou uma maravilha, mas não ficou mau!!, para quem não aprecia muito até comi com gosto!!





o problema é que como não tinha noção da quantidade a usar medi uma chávena de chá cheia e daí resultou um tacho cheio!!!, o que quer dizer que agora tenho uma caixa cheia no frigorifico de soja á bolonhesa para !!!!empadão talvez.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Coelho com abobora

Este coelho foi uma vizinha lá da quinta que me deu, porque é carne que não compro habitualmente, há sempre aquela duvida!!!e depois como o marido não é fã....

Este fiz com abobora e abusei dos condimentos, coisa pouco habitual cá em casa.

Assim fiz o refogado da praxe, que cá em casa é sempre igual, com

1 cebola
3 dentes de alho
1 tomatinho
1cenoura grande
azeite e sal q.b.
1 copo de Vinho branco
Desta vez juntei mais
um raminho de alecrim
uma colherinha de café de cominhos
Pimenta moida na hora

Ah e não esquecer

o coelho
e a abobora (duas fatias médias)
Com duas ou três horitas de antecedência temperei o coelho com o sal, pimenta, alho picado, vinho e o alecrim e deixei marinar.
Depois foi só picar a cebola de modo grosseiro, juntar o alho e o coelho e deixar dourar um bocadinho.


Depois juntei o tomate, a cenoura partida aos cubos e o molho da marinada, deixei cozinhar até o coelho estar quase pronto e só no fim juntei a abobora cortada aos cubinhos, para não se desfazer muito.

Deixei mais uns minutitos até a abobora ficar macia e está pronto.
Acompanhámos com a tradicional batatinha cozida e salada

domingo, 7 de dezembro de 2008

Natal

OhOhOhOh!!!!!

Este ano as minhas decorações de Natal sairam outra vez das caixas, há já uns três anos que eles não se deixavam vêr, por isso se calhar estão um bocadito desatualizados!!

Quando temos algum problema grave de saúde próprio ou de algum familiar que nos é querido, estas datas muito festivas, pelo menos para mim são um bocadinho deprimentes.

Este ano embora a situação que os encaixotou não esteja melhor, antes pelo contrário, há apenas uma certa resignação e acima de tudo um novo motivo de alegria, uma experança em algo de bom para o ano que vem.

Até o pinheirinho fiz, cheio de anjinhos e bonequinhos :-)

O presépio talvez para o ano que vem :-)

Lulas recheadas

Já há uns dias que fiz estas lulas, mas ainda não tinha tido oportunidade de as colocar aqui.
Há muito tempo que também não as fazia recheadas, pelo trabalho que dá, estas comprei-as congeladas e limpas, só que depois de descongelar ficaram minisculas, pelo que não me apeteceu grelha-las como era previsto.

Assim para o recheio:

Usei as patitas das lulas.
Meio chouriço.
Uma cebola pequena.
Dois dentes de alho.
Uma cenoura pequena.
Um tomate madurinho congelado.
Uma colher de sobremesa da farinha.
Azeite, sal e vinho branco.

Tudo no tacho, com azeite e depois de bem cozinhado e apuradinho juntei-lhe a colherzita de farinha para secar um bocadito o molho.

E toca a encher os sacos das lulas e bem fechadinhos com um palito.

E novo refogado é preciso, com mais

Uma cebola.

Dois dentes de alho

Um tomate bem madurinho
Azeite, e vinho branco q.b.
Novamente tudo ao lume com as lulas cheias a cozinhar e apurar o molho.

Acompanhei com batata cozida e salada




terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Bolo de coco aveludado

Já há algum tempo que não fazia um bolinho e este pareceu-me bom, saiu na revista da farinha que é branca como a neve



225g de Farinha da tal Fina
200g de açúcar
150g de manteiga
50g de coco ralado
3 ovos
1,25dl de leite




Junte o coco com o leite e reserve.


Bata os ovos com o açúcar.
Derreta a manteiga e junte ao preparado anterior, adicione a farinha e bata.
Junte o coco e o leite e envolva bem.


Deite o preparado numa forma untada de manteiga e forre com papel vegetal uma forma sem chaminé, eu passei esta parte.

Vai a cozer em forno pré aquecido a 180ºC. cerca de 40 minutos.
Verifique se está cozido com a ajuda de um palito.
Deixe na forma 10 minutos antes de desenformar, eu desenformei logo, não tenho paciencia para esperar, principalmente este que parece que se estava a rir para mim.

Ficou mesmo aveludado e fofinho.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Salmão com ananás

Hoje fui ao peixe e não havia nada que me abrisse o apetite, o unico que estava com boa cara era o salmão, do que não sou grande apreciadora, mas como o meu maridito adora lá comprei com a ideia que tinha visto uma receita para experimentar na cozinhadaanna.


Cheguei a casa fui logo cuscar, mas para um não tinha rebentos de soja, para outros não tinha pauzinhos para espetadas, depois não tinha ananás natural e por aí foi :-(

Mas não desanimei e fiz uns somatórios e umas divisões, porque a ana tem muito por onde escolher e ficou uma delicia :-)

Duas postas de salmão
Quatro dentes de alho grandinhos
Três rodelas de ananás em calda
Massa Talharim
Queijo ralado
Sal, pimenta
Azeite
Vinagre balsâmico
Como comprei postas em vez de lombos, tive que inventar, tirar a pele ás mesmas e cortei aos cubos, tentei retirar o máximo de espinhas, antes disto já as tinha temperado com um bocadinho de sal, sumo de limão e pimenta moida na hora.


Descasquei e cortei os alhos de modo grosseiro e meti numa frigideira com azeite.


Antes dos alhos ganharem cor, meti os cubos de salmão e fui virando com cuidado até estarem cozinhados, (processo muito rápido).
Entretanto já tinha metido a massa a cozer em água só temperada com sal, de modo a ficar al dente.
Escorri e meti numa taça grande de louça, porque também não tenho wook e tinha na frigideira excesso de azeite.
Por cima coloquei os cubos de salmão e o alho.
Do azeite que sobrou na frigideira, retirei algum, porque era muito e ao restante juntei duas borrifadelas de vinagre balsâmico e deitei por cima do salmão e da massa.

Juntei os pedacinhos de ananás e queijo ralado e envolvi tudo.


Ficou uma verdadeira delicia, com o sabor do alho, o salmão e o doce do ananás ;-)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Tintureira grelhada

Tenho visto por aí nos blogs amigos, este peixe que para além de não ter ainda provado, nem sequer conhecia.
Vai daí e como não posso ver nada, fui á procura do dito cujo e como dizia a minha mãe tenho mais olhos que barriga comprei logo quatro postas, enormes!!!

Assim grelhado, só temperado com sal, limão e alho em pó, achei um sabor muito intenso, o marido diz que lhe parece carne, a mim não sei se foi de ter lido que é da familia do tubarão estranhei um bocadito!!!

Como se pode vêr o tamanho das postas é descomunal e por isso grelhei só duas, logo tenho mais duas para experimentar de outra maneira!!!

Mesmo assim, o balanço deste assim grelhado é positivo mas com uns seess, vamos vêr o que faço com as outras.

Este foi comido com uma batatinha cozida e com uma couvita lá da quinta!!!ainda estão pequeninas as nossas couves do natal, mas temos que ir comendo ou acabam por se estragar todas.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Sopa de peixe

No fim de semana fui á peixaria e vi lá uma metade de uma cabeça de corvina enorme, olhei para ela e ele riu-se para mim, pareceu-me um bocadito grande demais, mas mandei pesar, tinha mais de um kilo.

Um dos destinos foi sopa de peixe, embora seja uma comida que me lembra o verão, como gosto muito fica sempre bem.

Peixe, que neste caso foi Corvina
Uma cebola grande
Três dentes de alho
Três tomates médios bem madurinhos
e massinha q.b.



Em primeiro lugar cozer o peixe, em água temperada com sal.
Escolher as espinhas e peles e reservar o peixe.A água da cozedura, coa-se por um coador de rede fina, para filtrar possíveis escamas ou espinhas soltas.

Picar a cebola e o alho fininho e meter ao lume com azeite e uma folha de louro a refogar um bocadinho, juntar o tomate sem a pele, partido aos bocadinhos e deixar cozinhar, se for necessário juntar um bocadinho de água de cozer o peixe.

Retiro a folha de louro e trituro este refogado de cebola e tomate.
Em seguida junto a água de cozer o peixe, um bocadinho de massa, neste caso foram cotovelinhos e quando a massa está quase cozida junto o peixe.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Tarte de abobora e especiarias

Este fim de semana fui jantar a casa de uns amigos que gostam que eu leve a sobremesa, aproveitei e fiz esta tarte para levar, porque as abóboras que me deram não tem fim e aproveitei para lhe dar mais uma solução.

É uma receita já bastante antiga cá em casa, faz parte, do meu livrinho de escritos á mão.

Tem a particularidade de ter uma base bastante estranha e muito diferente do habitual, nem folhada, nem quebrada e muito menos areada :) mas muito fácil de fazer, seja para esta tarte ou outra qualquer.

A tarte é uma mistura exótica de sabores
































domingo, 16 de novembro de 2008

Uma vida nova

Quem disse que os caminhos que temos que percorrer na vida são fáceis, há uns bem dificeis e espinhosos.


Quando pensamos que temos o mundo na mão, ele escorrega-nos entre os dedos.

Quando pensamos que a lei da vida se cumpre, ela troca-nos as voltas.
Mas por vezes, quando pensamos que não há solução, há umas mãos milagrosas que nos empurram para a frente e nos ajudam a caminhar.

Por isso ás vezes é bom ter fé, acreditar em algo, embora seja dificil, quando se trata de crianças, que não fizeram mal a ninguem e vê-las com problemas tão graves!!!!oncológicos, de um dia para o outro sujeitas a transplantes só porque um virus que saindo do nada se alojou no seu coração e o destrui!!!!!enfim a vida ás vezes não é nada fácil!!!!

Mas há que ter coragem, enfrentar e seguir em frente, aproveitar cada dia como se fosse o ultimo enquanto temos alguma saúde e vontade de viver.....

sábado, 15 de novembro de 2008

Moussaka á minha maneira

Moussaka é uma especialidade gastronómica do Médio Oriente, típico das culinárias grega e turca, entre outras, constituído por carne de carneiro, beringelas, e tomate, sempre condimentado com azeite, cebola e ervas e fortemente temperado com pimenta.


Esta espécie de moussaka, fiz para aproveitar o resto da carne picada que sobrou da bolonhesa e umas beringelas que andavam á tanto tempo no frigorifico, que uma até já estava a lamentar-se e não lhe arranjava destino.
Por isso esta de turca ou grega tem apenas a minha memória de viagem por aquelas terras.



Em primeiro lugar cortei as duas beringelas ás rodelas e meti-as numa taça com água e um bocadinho de sal, para não ficarem negras.

Entretanto e porque a carne já não era muita, resolvi aumentar o recheio, fiz um novo refogado com azeite e
Uma cebola cortada de modo grosseiro;
Um pimento partido aos pedacinhos
Um tomate fresco cortado de modo grosseiro.
uma cenoura ás rodelas finas.
No fim destes legumes estarem já todos ao lume, juntei a carne picada que já estava bem cozinhada e temperada, deixei tudo apurar e ganhar os respectivos sabores. Juntar mais uns pozinhos de perlim-pim-pim, a famosa pimenta e um nadinha de cominhos.

No fim foi só montar os ingredientes.

No fundo de um recipiente para ir ao forno coloquei um bocadinho de Molho bechamel daquele comprado já feito, no total usei mais ou menos 2/3 do pacote de 500ml e algumas rodelas de beringela.


E em cima uma parte do guisado e assim sucessivamente até acabar os ingredientes todos.
Por cima deitei mais molho bechamel e polvilhei com bastante queijo ralado, eu costumo usar uma mistura de queijos para gratinar.


Foi ao forno o tempo suficiente para cozinhar as beringelas e gratinar, mais ou menos 30 min a 200º

O resultado foi bastante saboroso, o molho da carne com o bechamel fez uma ligação espectacular, resultando um molho espesso, parecia quase que tinha levado natas.

Apenas uma notinha a referir, na proxima vez que voltar a fazer, tiro a casca á beringela, porque quando se come, como a beringela é bastante macia e se desfaz, fica desagradável encontrar as rodinhas da casca inteiras.